Georges St-Pierre diz que Diaz não deveria ter lutado com Silva

Todos leitores estão cansados de saber que desde que Anderson fez seu primeiro papelão com Weidman (vendendo ou não o título / desrespeitando ou não o lutador / o subestimando ou não) nunca mais o vi como um campeão, pelo menos não fora do Octógono.

Embora seu nome será sempre respeitado na história do UFC e das artes marciais, não creio até hoje que ele tenha dado seu máximo naquela primeira luta que perdeu para o Chris, assim como não quero acreditar que tenha dado seu máximo nesse sábado com Nick Diaz. Creio que a grande maioria das pessoas, sejam fãns ou não do Anderson, irão concordar que não representou 10% do verdadeiro Silva. Claro que virão com papo chorão de que ele está mais de um ano fora de uma luta oficial, de que está recuperando físico e confiança, blá blá blá.

Então assistindo Combate TV, Sport Tv 2 ou Rede Globo ouvimos no final da luta que essa luta e Anderson representou um grande modelo de superação para os Brasileiros. Piada de mídia? Superação é o pai de família Brasileira que sustenta 3 filhos com um salário mínimo no Brasil. Se machucar é algo ligado diretamente ao esporte, ainda mais de MMA. Voltar a lutar é uma escolha, não um dever e não uma impossibilidade.

Nick Diaz fazia suas lutas em até 77Kg e aceitou uma luta no peso do Anderson de 84Kg. Para o Georges St-Pierre isso foi um erro, pois favoreceu e muito Anderson que com muito esforço conseguiu tirar uma vitória simples. Oras, você já viu o Diaz lutando em sua categoria? Ele não é nenhum ex-campeão porém o próprio St-Pierre afirmou que é “queixo duro” muito difícil de ser finalizado.

Ao meu ver foi uma comédia a luta. Imagino quanto custou pros Brasileiros que fizeram uma viagem somente para ver aquela luta no MGM Arena. Vai me falar agora que é a classe menos afortunada que não tem educação nessas nossas terras canarinhas? Que respeito com o Diaz hein? Quando que americanos, alemães, africanos ou até mesmo argentinos iriam vir para o Brasil, tomar da nossa água, servirem-se das nossas comidas e mulheres e no meio de uma luta como a do UFC cantar “Hey Anderson go F** yourself!” É isso aí BRAZIL ZIL ZIL!

Mesmo com a vantagem do peso e 5 cm mais alto, Anderson ainda teve tempo pra encarar as brincadeiras de Diaz, que logicamente mostrou muito mais confiança. Eu torço para que o Anderson volte a conquistar pessoas que eram fãns do MMA muito antes do monopólio do Sr. Dana White. E todos nós sabemos que isso só vai acontecer quando voltar a ter o cinturão, seja do Chris ou Belfort. Ou o mínimo o Sr. Dana tomar consciência, antes de que seja tarde, que bem antes do Weidman, Silva deveria ter enfrentado Pierre que já largou o esporte (não se sabe até quando), e/ou John Jones (que caiu no teste positivo de exame anti-dopping). Isso é superação Sr. Silva, vencer os grandes e não os mais baixos, mais fracos, mais leves, menos afortunados, com menor reputação.

Como próprio Diaz comentou ao final da luta, não houveram golpes contundentes do Silva. (Diaz sangra fácil veja outras lutas dele – sangrar não é o mesmo que Doer, perder ou cair) MMA é ou deveria ser o mais perto da realidade. Numa luta de rua, se um oponente só sangra mas não desiste, não se entrega ou não cai, quem é o vencedor?



Comments are closed.